A comunicação das empresas por uma causa – Busca de propósito das marcas nunca foi tão importante

Mariana Queiroz

maria clara

Em mundo complexo e de certa forma saciado por competitividade e ofertas excessivas por consumo, a associação por uma causa tem rendido grandes diferenciais.

A Lola cosméticos, por exemplo, em uma ação ousada, porém bastante certeira, escolheu uma modelo transexual com estética diferenciada para representar sua marca. Leia mais em: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/maria-clara-araujo-a-primeira-garota-propaganda-trans-do-brasil-1913.html.

Em um momento onde a liberdade sexual e reflexão sobre gêneros estão em pauta, me parece uma estratégia bastante sábia. “A cidadania vai além de produzir um bom produto e obter lucro. O comércio, por si só, é passado, e somos e queremos fazer sempre parte desse presente mais justo e mais plural”, diz a assessoria da Lola.

Outro exemplo é a marca internacional GStar Haw, que mudou de patamar quando decidiu produzir uma marca de calças de garrafas Pets retiradas do oceano, como bem lembrou o CEO da agência Garage em entrevista ao Portal Meio e Mensagem, Max Petrucci.“Se luxo já foi sinônimo de Aristocracia, Consumo e Experiência, hoje, com a sociedade em rede, estamos chegando mais perto do que chamei de “luxo da consciência”.

Ele ainda imaginou o quanto a publicidade poderia amplificar ainda mais iniciativas como essa, caso a GStar Raw tivesse desenvolvido uma ação semelhante para o Rio Tietê, podendo envolver o Waze e mostrar pins para quem estivesse navegando pela região.

 

Desta forma, encontrar o propósito da empresa ou marca tem grande valor. Daí, é possível realizar associações e imaginar diversas iniciativas de comunicação.

Lembrando que não se trata de consumir menos, e sim, com mais pertinência. Max finaliza: “A ação que está em alta hoje é aquela que promove as relações”.

Uma bela reflexão para esta segunda-feira. Bom dia!

 

Foto: Divulgação Lola Cosmetics